sábado, 12 de fevereiro de 2011

As Mulheres e as Deusas e o cuidado com o feminino


Nos mulheres, temos vários papeis importantes somos filhas, mães, e mulheres e por que não deusas?

Em cada um dos papeis que desempenhamos, deixamos vir à tona um arquétipo, o de filha, depois o de mãe, e o da mulher que abrange estes. As deusas gregas também são mães, filhas e mães e mulheres.

No estudo que venho realizando sobre as Deusas, percebo que cada uma delas tem um perfil diferente, age e toma decisões com focos diferentes, desta forma penso que ao trabalharmos com mulheres através da Arteterapia e usarmos as deusas como ponto de partida, poderemos ajudar a mulher a olhar para suas possibilidades de ação frente ao mundo. Isso porque como afirma Martha Robles “mulheres e deusas compartilham do mesmo destino entrançado com a fatalidade”

Acredito que o mito nos possibilita o encontro com as origens com os simbólicos e com vários e distintos caminhos de mulheres, e a aproximação entre os deuses e os homens na sua dimensão sagrada. É, portanto um encontro com a nossa alma.

Isto acontece porque os mitos trazem temas universais, que traduzem verdades que são vividas por toda a humanidade.

Quando trabalhamos com Arteterapia trazemos algumas imagens á tona e então alguns arquétipos são também trazidos e neste caminho podemos enriquecer e ao mesmo tempo ampliar nossa consciência, pois são eles diferentes aspectos do Si - mesmo, que nos possibilitam uma re estruturação das nossas ações.

Quando falamos de arquétipos vale lembrar que Jung coloca que estes são padrões de comportamento instintivos, que estão no inconsciente coletivo , que é aquele que não faz parte do inconsciente individual, o inconsciente coletivo é universal , sendo assim, em diferentes locais e diferentes pessoas acessam seus conteúdos e se comportam de maneiras semelhantes .

Mitos e contos de fadas são expressões arquetípicas, assim como os sonhos também são. Os padrões de comportamentos comuns a toda a humanidades mostram semelhanças entre as diferentes mitologias, assim como em diferentes culturas.

Sabemos que os deuses e deusas do Olimpo tinham inúmeros atributos semelhantes aos humanos, suas reações por vezes se assemelham as nossas. Esta familiaridade que encontramos nos deuses e deusas ocorrem, pois eles trazem alguns arquétipos, que são modelos de agir, formas de atuar frente a determinadas situações, e estas estão no inconsciente coletivo o qual todos compartilhamos.

Meu trabalho com Arteterapia está voltado para a mulher, já desenvolvi oficinas para senhoras da terceira idade, para mães de portadores de necessidades especiais, já trabalhei junto a uma ONG onde fizemos oficinas para jovens...

Usando os mitos e trabalhando com as deusas, mães, filhas e mulheres em oficinas podemos favorecer as mulheres que revejam seu modo de agir, que possam olhar para si e para vida com outro foco.

Cada deusa representa diferentes formas de comportamentos. As deusas virgens Atena, Artemis, representam a meta bem direcionada, um foco a ser atingido, o pensamento lógico, Hestia enfoca atenção interior, busca o centro espiritual da mulher.

Já outras deusas focalizam diferentes aspectos, Hera é conhecida como a deusa do casamento, Demeter enfoca o papel de mãe e Perséfone o de filha, Estas três deusas representam papeis tradicionais na nossa sociedade, mãe filha e esposa. Já Afrodite enfatiza os relacionamentos, o processo criativo e as mudanças.

Observem, portanto o quanto estas deusas se assemelham a nos mulheres, e o quanto olhando para suas histórias, poderemos mudar os nossos caminhos.
Penso que desta forma, com o conhecimento das deusas, a mulher poderá reconhecer em si e no outro, seu jeito de agir, frente aos diferentes relacionamentos que permeiam sua existência, com pais, filhos, maridos companheiros.

O trabalho com mulheres é cativante, pois possibilita crescimento, uma transformação, que acrescenta e agrega valor ao feminino, amplia e valoriza.

Fazer a mulher olhar para si, e para o outro através dos mitos e da Arteterapia, é ampliar sua consciência, é cuidar do feminino, não passando a mão na cabeça, e sim abrindo-lhes os olhos para suas possibilidades. Dando lhes ferramentas para agir conscientemente.

Bibliografia de referencia

Maciel ,Corintha – Mito drama – O universo mítico e o seu poder de cura. São Paulo, Àgora 2000.

Bolem , Shinoda Jean , AS deusa e a mulher , São Paulo Paulus 2005

Alvarenga ,Zélia Maria e colaboradores , Mitologia Simbólica . São Paulo. Casa do Psicólogo, 2007

2 comentários:

  1. Olá adorei a ideia , como relacionar a atividade expressiva com cada mito?? DEusa??

    ResponderExcluir
  2. Ola bom dia!!! penso que cada Deusa tem caracteristicas especiais , e quando vc trabalha com mulheres poderá fazer um link entre o que elas precisam e o que cada deusa oferece de ajuda , para fortalecer.

    Desculpe responder só agora não havia visto seu cometário antes !!!

    ResponderExcluir