domingo, 6 de março de 2011

Homenagem às mulheres
















Estava pensando... Que bom! Semana da mulher, vou escrever um texto especial para nós mulheres. Mas ai me veio à mente uma afirmação, sim escrever um texto, mas somos especiais sempre, sendo assim, todas as semanas, são nossas semanas. Isso porque somos mulheres especiais sim, sempre!

Chinen é um autor que gosto muito, li dele alguns livros sendo um sobre os contos de fadas para adultos e outro que nos fala dos contos de fadas sobre as mulheres, neste último escreve sobre contos sobre as mulheres e resgata várias facetas da mulher. Este autor acredita, assim como eu, que devemos buscar soluções que sejam criativas para os nossos problemas e que não devemos, portanto nos olharmos como vitimas das situações, mas como heroínas destas mesmas situações.

Em seu livro Chinen traz contos nos quais nem sempre são as mulheres as personagens principais, mas elas junto com outros personagens formam um enredo de união entre o masculino e feminino. Isso porque na nossa sociedade o masculino está muito visível com atitudes agressivas, relação com o poder, mas será que estas energias também não se encontram nas mulheres?

Nos contos de fadas tradicionais qual é o papel da mulher? Em alguns ela é superior, rainha poderosa, princesa e em outros, porém é a esquecida a abandonada, ou a velha dona da sabedoria, Chinen pergunta, o que a mulher precisa para saber qual é, e onde está seu poder? Esta é uma pergunta que venho me fazendo há algum tempo, e por isso que venho estudando e lendo sobre mulheres. Falta-nos a confiança de saber que temos poder, que somos sábias.

Penso que o que se esperava da mulher é que ficassem como pano de fundo na vida. Mas as qualidades do masculino, também existem nas mulheres, é só necessário que nos conscientizemos disto... Não que tenhamos que ser semelhantes aos homens para sermos reconhecidas , mas é necessário que saibam que também sabemos lutar pelo que desejamos, podemos sobressair no trabalho, em diferentes atividades E quando nos conscientizamos destas nossa possibilidades, há uma transformação, esta conscientização pode acontecer a qualquer momento é só estarmos atentas a isso.

Vejam só o que coloca Chinen, quando acordamos para esta nova possibilidade temos que tomar atitudes novas e tomar posse desta nova mulher, ele coloca que nos contos quando a jovem está em busca desta nova etapa de sua vida ela busca ajuda com as velhas sabias, que já sabem como lidar com o masculino, e usam antídotos , e magias para isso. Usam ainda da astúcia, da paciência e determinação, usam ainda o bom humor.

Os contos trazidos nesse livro são contos antigos, mas ao mesmo tempo super atuais. Os comentários feitos por Chinen ajudam a elaborar as oficinas e trabalhar com o feminino.

Chinen traz contos que foram coletados de várias partes do mundo, e mostram a mulher adulta e não a jovem, retratam então mulheres mais fortes e decididas que buscam as mudanças, e é isso que faz consonância com as mulheres da contemporaneidade.

Segundo ele, as histórias de mulheres têm uma estrutura muito semelhante a como as mulheres traçam a trama de suas vidas como uma tapeçaria, com vários focos de interesse. Com cores , formas e vários desenhos.


As histórias para mulheres de certa forma mostram os caminhos traçados para alcançar o verdadeiro Self, a busca de recursos para atuar na vida de maneira diferente, criativa e segura. Mostram o quanto é desafiador este caminho, pois esta mudança este trajeto não é linear, é confuso, cheio de nuances, mas por certo vale a pena percorrer este caminho.

Outro livro importante para desenvolver o trabalho com mulheres que muito me ajudou nas minhas oficinas é o de Jette Bonaventure ela nos fala que o tema referente a mulheres é inesgotável, são variações sobre o mesmo tema: “A MULHER “ela afirma que como arquétipo, a Mulher surge com muitas nuances diferentes, símbolos também diferentes, isso porque dependendo das culturas religiões esta mulher é vista de maneiras as mais diversas possíveis, porém sempre tendo algo comum entre estas visões.

Esta autora ressalta como que os contos vão mostrando as mulheres ao longo do tempo, lidando com suas dificuldades, e como agem de maneira semelhante em qualquer parte do mundo.

Em diferentes culturas encontramos fadas, bruxas, deusas da guerra e do amor que podem nos iluminar o caminho, mostrar saídas. Nos contos de fadas segundo Bonaventure as vivencias das mulheres e as nossas se assemelham, os contos vão mostrando como a mulher percorre este caminho, como sua alma se apresenta, seus medos, encantos, teimosia, orgulho, serenidade, vaidade, e ainda nos mostra o que o pensamento popular espera da mulher, que comportamento é o desejável!!

Os contos, portanto contam o que esperam da mulher, neles vemos mulheres boas ou más, tímidas ou orgulhosas, esta ambivalência é muito comum nos contos de fadas.

Como arteterapeuta, o uso destes contos, possibilita traçar um caminho de descobertas, de novas possibilidades. Escolher os contos é uma tarefa delicada, para tanto conhecer o grupo, as necessidades de cada participante é tarefa imprescindível, para isso é muito valiosa uma atividade citada por Patrícia Pinna, onde cada participante faz numa cartolina ou em outro material com juta, que acho super interessante, pois seria como a trama da vida, o percurso de sua vida até o presente momento, ou ainda como já fiz algumas vezes o desenho história de Walter Trinca que possibilita focar as principais etapas da vida e um olhar para o futuro. Depois de conhecer seu grupo, ai então, poderemos escolher os contos que neste livro trabalham com diferentes temas: poder, sabedoria, natureza, irmandade e viagem ao novo mundo.

Minha experiência mostra que contos para adultos e ou contos para mulheres são maravilhosas ferramentas para um trabalho de crescimento da mulher, para abrir os horizontes, para trazer à consciência a mulher real, que existe dentro de cada uma de nós, a mulher que por vezes esta adormecida, e só precisa ser despertada, que sabe buscar seus
caminhos, independente do percurso que ira ter que percorrer. Portanto este é o meu melhor trabalho, o que realizo com o maior prazer e empenho, ajudar a acordar “as belas adormecidas mulheres interiores de cada uma de nós”.


Bibliografia de referência

Bonaventure, Jette. Variações sobre o tema mulher, 2000, Paulus São Paulo

Chinen , Allan B. ... E foram felizes para sempre – contos de fadas para adultos – 1989, Cultrix. São Paulo
Chinen , Allan B. A mulher heróica – Relatos clássicos de mulheres que ousaram desafiar seus papeis . 2001 Summus Editora. São Paulo



BERNARDO, Patrícia Pinna - A Prática da Arteterapia - correlações entre temas e recursoso - Vol 1: Temas Centrais em Arteterapia. São Paulo: Edição do Autor, 2008.

3 comentários:

  1. Oi Nancy! Achei lindo o texto, maravilhoso! E penso que os contos de fada já dialogam com o íntimo de cada pessoa, trazendo uma memória do que vivenciamos ou uma perpectiva do que iremos experimentar, portanto para mim o próprio conto traz essa identificação do indivíduo ou do grupo quanto as questões a serem abordadas na sua história de vida, e que podem ser elaboradas, experimentadas e reinventadas como o próprio conto, seus personagens, elementos e situações!! Parabéns pelo texto, ele despertou a minha "bela adormecida"...rsrsrs

    ResponderExcluir
  2. Ai Silvana que bom , um dos meus objetivos com este texto era isso fazer com que as nossas belas adormecidas acordem para uma nova possibilidade na vida .....

    ResponderExcluir
  3. Ah !! e obrigada pelo seu apoio sempre !!!!!!

    ResponderExcluir