quarta-feira, 28 de setembro de 2011

A arte educação e arteterapia dois caminhos através da arte

A arte educação e arteterapia dois caminhos através da arte


A arte é fundamental em nossas vidas, penso assim.

A arte está implícita nos dois contextos, tanto da arte educação , assim como da arteterapia, dois saberes que usam a arte como fonte e recurso para o desenvolvimento de suas atividades. Sendo assim vamos discorrer sobre cada um destes saberes, olhares diferentes que se unem através da arte e do fazer artístico, tendo a criatividade como aliada.

Cabe salientar que o uso da arte favorece a um melhor equilíbrio entre o fazer e razão e a emoção e o fluir dos diferentes sentimentos

Colagrande( 2011) faz uma colocação que muito me agrada ela afirma que “Arte Educação compreende o papel do educar por meio da arte” ( Colagrande 2010 pg. 42) este ponto de vista nos faz pensar em usar dos meios que a arte nos oferece para através deles criar, transformar, organizar, conhecer, ter novos olhares para o mundo. A arte educação possibilita atingir o desenvolvimento cultural, alem do individual e social. É também importante perc
eber que a arte educação tem relação estreita com o desenvolvimento das crianças, suas possibilidades e necessidades. Dentro de cada etapa do seu desenvolvimento, visto que cada etapa tem seu ritmo próprio, assim como seus fazeres diferenciados. Mas para que este educar com arte aconteça penso ser necessário que o educador adquira alguns conceitos, que o embasem esse fazer.

Sendo assim o conhecimento das faixas etárias e de suas necessidades faz com que o arte educador possa escolher os materiais mais adequados, os quais devem ser diversificados, os recursos são também específicos para cada etapa de desenvolvimento da criança com a qual se trabalha, só assim estaremos favorecendo seu desenvolvimento total. Cabe ainda ressaltar a importância de que se respeite o processo individual de cada indivíduo no seu fazer artístico deixando com que a criatividade aconteça e floresça, fazendo arte de acordo com seu potencial e seu ato criativo.

Esta autora coloca ainda que o papel que cabe ao arte educador é o de vivenciar a arte, e a partir desta vivencia se apropriar de seus recursos e de suas técnicas, para que desta forma possa transmitir tais conhecimentos a seus alunos. Acredita também que este educar pode se transformar em terapêutico na medida em que pode promover o autoconhecimento assim como o auto desenvolvimento, sempre tendo em vista o desenvolvimento do conteúdo curricular de cada faixa etária.

Já Oliveira (2011) coloca que Arte Educação seria o ensinar técnicas básicas de produzir trabalhos artísticos sem envolvimento com terapia e mesmo com processos terapêuticos (Oliveira 2011pg 43).

Penso que o Arte Educador é um profissional que tendo a formação em Artes plásticas pode trabalhar com técnicas e conteúdos específicos do currículo de artes podem trabalhar com alguns aspetos importantes gerando autoconhecimento e auto-estima, porem para realizar estes objetivos deverá ter alguma formação que lhe possibilite lidar com outros conteúdos que não a arte para garantir que desempenhe de maneira adequada seu trabalho.

O trabalho com Arte Educação assim como na Arteterapia tem etapas a serem cumpridas para melhor atingirmos os nossos objetivos. Cabe, portanto eleger as etapas que favorecem o trabalho

Colagrande (2011) coloca que Arteterapia é uma ferramenta que pode ser usada em diferentes contextos: como educação, saúde, é um processo de autoconhecimento, possibilitando resignificar a arte e o conhecimento individual.

Acredita, assim com eu, que a Arteterapia pode ser um caminho facilitador no processo de autoconhecimento, em trabalhos terapêuticos. Como eu, esta autora pensa que o uso da arte como um caminho que promove ao individuo se conhecer; tanto seu mundo interno, assim como as suas possibilidades, usando o não verbal, para que através de pinturas, recortes e colagem possa fazer contato com o inscosnciente, e de alguma forma trazendo à tona para a a consciência, sentimentos, emoções até então desconhecidos.

O arteterapeuta será aquele que ajudará na leitura dos trabalhos, que significa observar e buscar entender o que produziu, pois quem produz, normalmente não consegue perceber sozinho os motivos ou mesmo os significados do que realizou e os porquês, cabe, portanto investigar, comentar , é na leitura das produções que a Arteterapia vai trabalhar com cada individuo , tornando visível o ate então oculto, invisível, fazendo com que seja reconhecido pela consciência.

Sabemos que a maioria das pessoas se colocam como não sabendo pintar, desenhar ou mesmo trabalhar com os diferentes materiais, cabe, portanto ao arteterapeuta, ser a ponte, aquele que possibilita que a criatividade possa fluir encorajando, estimulando e criando oficinas que favoreçam a descontração a liberdade de expressão . Assim como não deixando os participante constrangidos, isso porque as oficinas necessitam que o individuo fique a vontade, livre e desta forma deixe sua criatividade surgir, pois é através dela que o processo arteterapeutico acontece.

Colagrande afirma que é através das expressões não verbais que os sentimentos vão sendo trazidos à nossa consciência, então podem ser visto e modificados, com um novo olhar sobre as diferentes situações que se apresentam na sua vida. Há, portanto uma ampliação do olhar frente ao novo ao difícil e ao desconhecido.

O arteterapeuta será aquele que ajudará na leitura dos trabalhos, que significa observar e buscar entender o que produziu, pois quem produz, normalmente não consegue perceber sozinho os motivos ou mesmo os significados do que realizou e os porquês, cabe, portanto investigar, comentar , é na leitura das produções que a Arteterapia vai trabalhar com cada individuo , tornando visível o ate então oculto, invisível, fazendo com que seja reconhecido pela consciência.

Sabemos que a maioria das pessoas se colocam como não sabendo pintar, desenhar ou mesmo trabalhar com os diferentes materiais, cabe, portanto ao arteterapeuta, ser a ponte, aquele que possibilita que a criatividade possa fluir encorajando, estimulando e criando oficinas que favoreçam a descontração a liberdade de expressão . Assim como não deixando os participante constrangidos, isso porque as oficinas necessitam que o individuo fique a vontade, livre e desta forma deixe sua criatividade surgir, pois é através dela que o processo arteterapeutico acontece.

Colagrande afirma que é através das expressões não verbais que os sentimentos vão sendo trazidos à nossa consciência, então podem ser visto e modificados, com um novo olhar sobre as diferentes situações que se apresentam na sua vida. Há, portanto uma ampliação do olhar frente ao novo ao difícil e ao desconhecido.

Zinker (in Colagrande 2011) coloca:
"A razão pela qual desenho ou pintura pode ser terapêutico é que quando experienciados como processo, permite ao artista conhecer a si mesmo como pessoa inteira e em curto espaço de tempo. Ele não apenas se tora consciente de seu movimento interno em direção à experiência de sua totalidade, mas também recebe confirmações visuais, destes movimentos nos desenhos que produz "( pag. 38)

Vê - se, portanto que no processo arteterapeutico, existe a possibilidade de um conhecimento do seu eu interior, fazendo isso de uma nova maneira, o que gera mudanças importantes ao individuo como um todo, isso porque vence suas dificuldades em relação com os materiais, com as produções e este processo pode transpor para sua vida, passando a vencer seus medos e outros obstáculos.

Sendo assim pode olhar os acontecimentos de seu dia, as aflições e dificuldades através de um foco novo, um olhar diferenciado, integrando - os, velho e novo, difícil e fácil, antigo a e atual, esta nova postura traz ganhos ao individuo.

Quando se trabalha com Arteterapia, estamos desenvolvendo e criando novos olhares para o individuo e para o outro, novas possibilidades de ver e resignificar as situações os valores e as atitudes.

Quando o trabalho é baseado na arte educação abre as portas para um novo olhar para o currículo, assim como para as possibilidades de incentivar a criatividade e buscar o desenvolvimento de novas habilidades.

Se formos imaginar onde começa a atuação do arte educador e onde termina e onde se coloca o arteterapeuta, veremos que linha divisória destes dois saberes é muito tênue, quase que invisível, o arte educador tem por objetivo segundo Louis Porcher ( apud Colagrande 2011, pg. 20 )
• Criar indivíduos com consciência ativa em relação ao meio ambiente em relação ao panorama e à qualidade de vida desses indivíduos
• Criar nos indivíduos não tanto a aptidão artística especifica, mas, sobretudo um desenvolvimento global de personalidade, por meio de formas mais diversificadas e complementares possíveis de atividades expressivas e criativas e sensibilizadoras
• Utilização de métodos específicos, progressivos e controlados, capazes de produzirem a alfabetização estética sem o qual toda a criação é ilusória.


Penso que os dois saberes estão unidos pela arte. Cada um deles tem suas especificidades, nuances diferentes de usar a arte, de trabalhar através dela e com ela, fazendo desta forma com que os indivíduos possam usufruir dos benefícios trazidos pela arte.

O fazer artístico e a criatividade possibilitam sempre uma satisfação que pode estar ligada ao fazer. Através de um conhecimento mais teórico envolvendo técnicas, ou um fazer que possibilite o conhecimento interno um autoconhecimento,

Portanto cada profissional deverá ter a ética de usar seus conhecimentos em prol do ser humano sempre visando seu bem estar. Buscando o seu melhor, buscando se capacitar cada vez mais, observando a tênue linha que separa o arte educador do arteterapeuta.

Acredito que a Arteterapia poderá estar presente na escola, mas deverá ter um espaço adequado par este trabalho, não sendo realizado juntamente com o processo desenvolvido pelo arte educador , pois cada fazer deverá ter objetivos específicos, não devendo haver interferência entre eles.

Bibliografia de referencia

Colagrande, Claudia – Arteterapia na pratica – diálogos com a Arte Educação
2010 – Wak Editora Rio de Janeiro.
Oliveira, Lou de – Psicopedagogia e Arteterapia – teoria e pratica na aplicação em clinicas e escolas – 2011 Wak Editora, Rio de Janeiro




2 comentários:

  1. Nancy, muito interessente este querer diferenciar a arte educação da arteterapia. Sempre desconfiei e agora tenho a certeza que a diferença é onde vc quer chegar tanto com uma, quanto com a outra.
    Convergem em muitos pontos, pois ambas são terapêuticas, mesmo tendo objetivos diferenciados.
    Sinceramente, me achei depois de anos, quero e vou me aprofundar neste assunto.
    Bjos
    Zezé

    ResponderExcluir
  2. Ola Zezé

    Que bom que este texto lhe esclareceu. acredito que ha uma linha divisória quase imperceptivel , porém os arteterapeutas se fundamentam em algums linhas como gestalt ou psicologia analitica, o que não acontece com o arte educador ... mas a arte em si é terapeutica. Ambos buscam na arte o seu caminhar então ....

    ResponderExcluir