sábado, 12 de janeiro de 2013


Sobre Charles Perrault os personagens femininos e os contos

 
Olá a todos hoje seria aniversario de Charles Perrault, e como eu que tanto gosto de contos de fadas podia de ixar esta data passar em branco . o contar e ouvir histórias é tão antigo quanto  a  humanidade , é sempre muito prazeroso sentar se  numa roda  e ouvir histórias , nas diferentes culturas  e nas diferentes histórias sempre vamos encontrar a mulher , a velha ou nova que tem quase sempre um papel de destaque. Ela pode ser a tia, mãe,  a criada , a cozinheira a avó , ou ainda a princesa , a bruxa ou a fada .

Por certo a maioria de vocês já ouviu falar em Sherazade que com sus habilidade consegui mudar  a história de varias mulheres, com sua histórias sem fim !!!  então o contar história sempre foi muito importante desde muitos anos atrás .

Agora vamos falar deste que foi um dos primeiros escritores de contos de fadas

Charles Perrault nasceu em 12 de janeiro de 1628 , em  Paris , quando pequeno teve dificuldades de se alfabetizar em latim , mas depois se torna um dos melhores alunos,  e nessa época começa a escrever versos, por volta de 15 a 16 anos teve desavenças com professores e deixa a colégio mas continua  a estudar sozinho , bem mais tarde consegue estar entre os meios literários e la mantem algumas relações importantes na sua vida de escritor.

Vemos, portanto que desde muito cedo Charles apreciava a escrita,  e os meios literários , mas somente em 1671 que consegue ser recebido na Academia de antigos e modernos .

Os contos de Perrault

Seus contos começam a ter grande sucesso, e passam a ser conhecidos como contos de fadas, neles vamos encontrar alguns com fadas e outros com bruxas que são as fadas más , e outros onde as fadas nem aparecem .  Perrault traz a mulher como titulo de vários deles,  e elas em seus contos tem papel importante , e nas narrativas populares.

Nos contos de Perrault encontramos os valores sociais,  e os arquétipos do inconsciente , eles nos mostram como a família deve se comportar , falam de uma sociedade patriarcal,  e do poder do feminino.

Qual o poder das fadas?

Ela tem o poder de decidir sobre o destino das pessoas, e é muito bem representada nos contos de Cinderela e a Bela Adormecida,  estes dois contos são muito conhecidos aparecem também nas coletâneas dos irmãos Grimm.

Na versão de Perrault que poucos conhecem a Bela Adormecida se encontra como príncipe e  por já ter terminado seu tempo de dormir , ao se encontrarem se enamora e casam,  se escondidos e tem dois filhos Sol e Aurora ( Perrault 1989 ) Ao morrer o pai o príncipe assume o reino traz a princesa para morar com ela , ao ir a guerra os deixa a  mãe e filhos ao cuidados da rainha mãe. Esta  os leva ao campo e pede ao cozinheiro que os prepare para sua alimentação ...Você conhecia esta versão ? Eu li estas colocações no livro de Mariza Mendes e achei muito interessante, perceber como os contos vão sendo transformados e poucas pessoas tem conhecimento disto.

Alguns aspectos que nos pouco sabemos vem dos mitos como a fada que não foi convidada para a festa, é semelhante ao mito de Eris onde uma fada fica furiosa por não  ter sido convidada para o casamento de Telis e Peleu ... estas são semelhanças que nos mostram que os contos tem uma relação com os mitos . na Bela Adormecida também há uma fada que se enfurece e faz a maldição .

Sabemos que os contos trazem os sonhos das donzelas  em se casar com príncipes e morar em castelos,  o conto da Cinderela tem varias versões em muitos lugares,  e traz a fada mais maravilhosa que transforma abobora em carruagens , ratos em mordomos .

O feminino nos contos

Nos contos  de Perrault,  os papeis femininos recebem prêmios  e castigos para as suas boas ou más ações , mas há 3 contos que as mulheres recebem prêmios e castigos especiais, e nos mostram  como era vista a mulher,  e como era manipulada por uma sociedade patriarcal , estes contos são Chapeuzinho Vermelho , Barba Azul e As fadas.

Em Chapeuzinho não há um final feliz , sendo que a menina é vitima de um castigo sem perdão . Este conto por vezes não é considerado um conto de fadas e sim um conto de advertência, pois na obra de Perrault o conto termina quando o lobo come Chapeuzinho, a morte da menina é, portanto uma advertência ao seu comportamento. Este conto vem diretamente da tradição oral isso,  é algo muito importante para a história dos contos de fadas, a primeira versão deste conto foi escrita por Perrault não se conhecendo nenhum anterior a ela ( Medeiros 1999) coloca que existem somente duas versões sobre o final uma que  amenina morre e outra que escapa do lobo , mas sem auxilio de ninguém .


Outros contos de Perrault os papeis da mulher são pouco significativos denotando então a posição da sociedade patriarcal, estes contos são O  gato de Botas , O pequeno polegar,  e Requê do topete. Temos que no Gato de botas nem a fada aparece,  o auxilio  magico vem de um gato, o conto Riquê do topete,  a mulher é sempre conduzida pela vontade do príncipe , já no pequeno polegar as personagens   femininas são a mae e a mulher do gigante as quais são dominadas pelos maridos.

Os contos de Perrault giram em torno do feminino, da mulher do arquétipo do feminino , das mulheres nas suas infinitas representações ; mãe, avó , rainha , fada ou bruxa , princesa , o feminino é um papel que sempre esta presente nestes contos . Temos portanto que uma menina nasce e uma fada ou uma bruxa lhe tece o destino , uma boa mãe ou uma madrasta lhe encaminha na vida , onde esta o pai ?

Elas as mulheres  e o feminino esta nos nomes e nos enredos de Cinderela , A gata borralheira,  Chapeuzinho Vermelho , podem ser dóceis ou não lindas ou não , são como que garotas desprotegidas a enfrentar o mundo, as faz nos lembram a mãe protetora,  é o lado positivo do arquétipo da Grande Mãe , já a bruxa a mãe má,  o arquétipo negativo,  a mãe devoradora , estas duas faces da mulher foram captadas por Perrault na sua época na sua sociedade,   

O que nos faz ler e ainda hoje encantar as criança sé  a linguagem simples destes contos que nos fala do costumes das aldeias , quem lê ou escuta o conto de Perrault tem a noção de estar junto a um velho contador de histórias numa roda,  ouvindo contos,  como nos velhos tempos.  

Poderíamos nos aprofundar nessa discussão,  mas hoje estamos fazendo um apanhado deste autor eu por décadas  e décadas nos encanta, do feminino no seus contos,  . Parabéns Perrault seus contos ainda permanecem vivos na vida de muitos adultos que os estudam e de crianças que se encantam .  

Este texto foi baseado no livro de Mariza B.T Medeiros .Em busca dos contos perdidos – O significado das funções femininas nos contos de Perrault , 1999 Unesp .

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário